Araraquara tem a maior alta de exportações dos últimos três anos

Por Svyatkovsky, de envato elements Por Svyatkovsky, de envato elements

Araraquara tem exportado mais em 2021. Até agosto, foram enviados ao exterior mais de US$386 milhões em produtos é o maior valor dos últimos três anos para o período.
Em relação ao ano passado, o crescimento foi de 19%. Por conta da pandemia, 2020 tinha tido, até então, o pior desempenho dos últimos cinco anos, com US$324 milhões em exportações.

Os números são do ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e foram compilados pela CBN Araraquara.

Mais uma vez o setor de "produtos das indústrias alimentares" liderou o ranking de exportações. Principalmente, o de sumos de frutas. Os maiores mercados estão na Europa e na União Europeia.

O economista e colunista da CBN Araraquara, Eduardo Rois Morales Alves, atribui o crescimento a valorização das commodities agropecuárias e das cadeias agroindustriais.

"Aqui nós temos sediado, destacadamente a cadeia sucroalcooleira e a citricultura, que são uma das mais fortes do país. Precisamos destacar o crescimento do mercado do açúcar no mundo"

O presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Ademir Ramos, afirma que Araraquara se consolidou no setor sucroalcooleiro.
"Araraquara contribui praticamente com o que ela tem de maior, que é o setor sucroalcooleiro, os concentrados de laranja, de modo geral, e a questão do açúcar e os demais derivados da cana de açúcar. A gente tem observado isso no decorrer de alguns anos, que ela se consolida nessa área de produção. Agora, há de se considerar também que não é só o setor alimentício especifico de Araraquara, mas de um país de modo geral, logicamente embasado em cima do agronegócio", explica.

No comparativo com os últimos cinco anos, 2018 teve o melhor resultado, com mais de US$711 milhões em produtos exportados. A partir de então, houve duas quedas consecutivas até voltar a crescer neste ano.

Ademir Ramos afirma que os bons números obtidos reforçam a retomada da economia, pós-pandemia da Covid-19 e o aumento do consumo de itens de primeira-necessidade.
As importações também cresceram. Em relação ao período de janeiro a agosto de 2020, o aumento foi de 36,6%.

O setor de máquinas, aparelhos e instrumentos foi o que o mais enviou produtos para Araraquara. A maioria deles vindo da Europa e União Europeia.

Nos últimos cinco anos, 2017 teve o melhor desempenho nas importações, com mais de US$ 103 milhões de produtos importados.

O presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) atribuiu o aumento das importação a retomada da economia.

"Primeiro, a retomada da economia, devagar, mas começa uma retomada e, logicamente, ela demanda a aquisição de mais equipamentos. Segundo ponto, a escassez de equipamento, que, dependendo da necessidade da empresa, ela tem que buscar, imediatamente, em outro país. Então, são dois aspectos que vejo a questão da importação - principalmente de máquinas e equipamentos.

Para o economista, o aumento das importações, principalmente, de máquinas e equipamentos significa investimento.

"Essa importação é muito salutar para a economia, pois significa uma retomada, de um processo de confiança das empresas e, sobretudo, é um gasto em investimento. Investimento é um gasto fundamental para a economia e, sobretudo, para a geração de emprego".

Sobre o assunto, o vice-prefeito e secretário de Desenvolvimento Econômico, Damiano Barbiero Neto, disse à CBN que "o bom desempenho da indústria de alimentos confirma a expectativa de retomada do desenvolvimento econômico da região, onde se destaca o papel fundamental das commodities, além da indústria aeroespacial. E o crescimento das importações no setor de máquinas também é positivo, porque sinaliza para a retomada importante do processo de produção em vários setores da economia local".

Fonte: Acidadeon.com